< Blog dos Séniores do Futsal do Boavista FC: Outubro 2007

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

EDIVALDO CONTINUA A SUA EVOLUÇÃO

Como estava programado, foram retirados os pontos da cirurgia a Edivaldo, tudo se processou com a normalidade esperada e assim o Edi vai entrar em nova fase de recuperação.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

SEGUNDA PARTE PARA PENSAR, NÃO PARA ESQUECER!

BOAVISTA FC 1 FUNDAÇÃO JORGE ANTUNES 6
Intervalo 0-1
Jogo no Pavilhão do Viso
Árbitros : António Brito e José Ramos (AF Viana)
Constituição das equipas:
BOAVISTA FC
ALEX, FERREIRA, RAMADA, JOÃO TEIXEIRA E KUKES
Jogaram ainda:
CRISTIANO, ANDRÉ, FÁBIO, MARAU, GURI E MIGUEL
FUNDAÇÃO JORGE ANTUNES
VITOR HUGO, ANDREZITO, FÁBIO RIBEIRO, CÔCO E MARINHO
Jogaram ainda:
MELÃO, TIAGO, DIVANEI, EMERSON E GABRIEL

DISCIPLINA:
Boavista:
Amarelos para, GURI (17), FERREIRA (33)
Fundação:
Amarelos para, Fábio Ribeiro (8), Côco(15)
Marcadores: Tiago (14), Fábio Ribeiro (24), Divanei( 26,27), Melão (32), Mide (38), Marau (39)

Comentário:
Em princípio ninguém questionava o favoritismo dos homens de Vizela, mas no final em todos ficava a sensação que o resultado, não só podia ser outro, como os números eram exagerados, pelo que se viu principalmente na primeira parte, mas vá lá saber o que deu na cabeça aos axadrezados na segunda parte que entregaram todo o oiro ao bandido, saindo debaixo de uma pesada goleada.

EQUILIBRIO EM VINTE MINUTOS

Entrando a jogar unido o Boavista deu a ideia de ir à procura do seu destino e isso correspondia em defender bem e tentar num contra ataque fazer um golo que complicasse a vida aos Vizelenses. Cedo se percebeu que se a equipa tinha dificuldade de sair sobre a pressão exercida pela Fundação, o certo é que também os minhotos procuravam a meia distância para tentar o golo já que dificilmente entravam na defesa axadrezada.

O jogo esteve equilibrado com ligeiro pendor ofensivo mais evidente da Fundação, mas Guri ia conseguindo o tal golo, obrigando Victor Hugo a grande defesa, curiosamente dois minutos depois acontecia o golo minhoto, numa jogada confusa junto à linha de golo, Tiago aproveitava para abrir o activo.

O QUE ACONTECEU NO SEGUNDO TEMPO?

Esta é para nós a grande questão que confessamos não conseguimos entender, como a equipa se afundou e quase diríamos, abandonou o jogo.

Começou o Boavista à procura do empate, mas logo se verificou que com um sistema mais aberto que o Boavista impunha , a Fundação aproveitava e fazia o seu jogo já mais rápido. O empate esteve para acontecer numa jogada de envolvência frente a Melão, não aconteceu… e o Boavista caiu!

Em sistema idênticos de jogo, costuma vencer a equipa com mais-valia e a lógica aconteceu. Em oito minutos a goleada apareceu e o Boavista aproveitou para fazer rodar os seus jogadores menos utilizados em sinal claro de impotência para virar o jogo, aceitando o resultado.
No último Guri fez o golo de honra de livre de 10 metros.

Acreditem que nos custa escrever assim, mas temos que nos respeitar, temos respeitar quem nos lê, temos que respeitar o nosso site, e embora nos custa muito escrever assim, mas foi assim que vimos o jogo.
A arbitragem (que costuma ser infeliz em jogos do Boavista) esteve bem, sem qualquer influência no resultado.

Crónica de

Hugo Monteiro

A FIGURA DO JOGO
Divanei, dois lances de génio em dois minutos, dois golos de bandeira e a matar o jogo.


O MOMENTO DO JOGO
Minuto 24 com maior espaço, Fábio ribeiro aplicou um remate de meia distancia rasteiro e letal, colocando a vantagem em dois golos, demasiado para um recuperação

O LIBÓRIO ESTÁ DE PARABÉNS


Mesmo que queira esconder a verdade é qu o sub capitão faz hoje anos

Pois que seja muito feliz e ...traga o bolo

Um dia feliz

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

CONVOCADOS PARA AMANHÃ

Da anterior convocatória saem Salgado e Libório (por) castigo e entra Guri, assim são os seguintes os convocados:
Alex e Cristiano (GR)
Fábio
Marau
Ramada
Guri
André
Teixeira
Ferreira
Miguel
Lopes
Kukes
Jogo no pavilhão do Viso pelas 16,00 horas

CARLOS ALBERTO SOBRE EDIVALDO


Vamos falar um pouco sobre a operação do Edivaldo para esclarecer alguns pormenores, que assaltam pessoas menos conhecedoras.

- Começo por perguntar, foi um a operação normal?

- Não foi normal, não! Já por si é uma operação melindrosa mas esta foi realizadas as duas partes, logo considero a uma pubalgia dupla.

- Nota-se uma ansiedade no Edivaldo, para iniciar a trabalhar e para esclarecer eu pergunto isso mesmo, quando?
- Pelos cálculos médicos, não só meus mas dos doutores que estão inseridos no caso, o Dr. Pinto de Sousa e o Dr. Rui Pimenta, devemos ter o Edivaldo a trabalhar, meios de Dezembro, fins de Dezembro, não podemos garantir nada antes.


- Isso definitivamente. Mas quando começa o processo de recuperação?
- Qualquer intervenção cirúrgica tem que ter a sua recuperação. Umas mais lentas, outras mais rápidas e outras até bastante morosas, consoante o grau da intervenção. Mas esta operação foi a dois lados e por isso os primeiros quinze dias não poderá fazer esforços, porque foi uma intervenção melindrosa.


- A partir daí?
- Terá que começar a fazer alguns movimentos, fazer bicicleta, fazer natação, isso é uma terapêutica exigida pela operação que fez…


- Mas antes irá tirar os pontos, que algo que o confunde neste momento, sei porque conversei com ele.
- Os pontos serão retirados no dia trinta deste mês dia para o qual está marcada a consulta com esse fim, com o Dr. Rui Pimenta, iniciando aí o que falei atrás acompanhado por mim e vigiado pelo Dr. Pinto de Sousa.


-Por isso não vale a pena a ansiedade e urgência que ele pretende?
- Não, não vale a pena! Eu ando nisto há muitos anos e sei que o que o jogador quer é jogar, o treinador o que quer é o jogador lá dentro, mas como sempre digo para mim primeiro está o homem e depois é que está o atleta. Enquanto o homem não estiver recuperado, não há atleta.


- Há quem não pense assim….
- Infelizmente! Mas lá para o vigésimo dia começará a preparação comigo e com o preparador físico e daí em diante terá uma consulta com o Dr Pinto de Sousa, que um dia dará o veredicto final, dizendo que podemos dar o homem ao treinador.


- O Edivaldo terá que fazer uma pré-época especial?
- Isso já está planeado entre mim e o professor, que fará um plano de recuperação, nós sabemos que o Edivaldo é um jogador muito forte, olhando ao seu corpo ele precisa de fazer uma pré-época em condições para não haver retrocessos e acontecer o que lhe aconteceu durante muito tempo que andou a jogar sem o mínimo das condições, porque uma pubalgia não deixa o jogador render o que poderia em condições normais.


- Esta conversa pode servir de sossego ao Edivaldo, que ficará mais esclarecido?
- Eu tenho conversado com ele e ele tem que estar calmo porque o que o Edivaldo quer é o mesmo que eu desejo e que todos os boavisteiros querem. Pois sabemos que é um jogador trabalhador e que nunca engana ninguém, dele nós sabemos que se, se queixa é porque está realmente mal, ele nunca engana ninguém.


-Concluindo…
- Ele pode estar sossegado eu e o Dr, Pinto de Sousa estamos sempre me contacto e eu falo com o Edivaldo todos os dias, pode estar descansado que está em boas mãos e que tem um amigo sempre pronto para o ajudar.


Esperemos que o Edi, fique mais calmo que ainda vai ter tempo de ajudar o Boavista, porque nós contamos com ele, como reforço de Inverno!

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

ANTÓNIO MORAIS NA PRIMEIRA PESSOA



António Morais, Director do departamento de futsal é por inerência o principal responsável da modalidade, fomos ouvir a sua opinião neste momento mais “anormal” da vida do futsal e do Boavista.


· Não és propriamente um novato no futsal?
- Nem no futsal nem no Clube, pois já ando nesta modalidade há dezena e meia de anos.

· És então a pessoa abalizada para focarmos alguns pontos mais melindrosos e actuais, vamos a isso?
- Vamos lá!


· O campeonato começou com algumas derrotas, mas agora parece ter-se encontrado o caminho das vitórias?
- Este campeonato não vai ser fácil, as equipas estão cada vez mais competitivas e mais difíceis e por isso, acho que fizemos os resultados que considero normais. Até à paragem temos um calendário muito difícil, jogamos com equipas muito fortes e está dentro do que estávamos a pensar no início da prova, eventualmente poderíamos ter mais um ou dois pontos, mas não conseguimos.

· O objectivo é o Play-out?
- A ida ao Play-off é sempre um claro objectivo, mas sabemos das dificuldades de o atingir, no entanto se tivermos que jogar o Play-out queremos levar o maior número de pontos possíveis para atingirmos o nono lugar e neste caso é como se fossemos campeões.

Acreditas na manutenção?
- Indiscutivelmente que acredito na manutenção!


· Em Janeiro regressa o Rogério (fim de castigo) e Edivaldo (lesão) que consideras dois reforços, mesmo assim pensas contratar mais alguém?
- Como costumo dizer um plantel nunca está fechado, é indiscutível que estava à espera do Edivaldo mais cedo, mas só agora pôde ser operado e por isso conto com eles a partir de Janeiro, são dois jogadores importantes. Perguntas-te se vai entrar mais alguém. Pode entrar sempre mais alguém , depende da nova conjectura do clube e vamos ver, vamos ver o mercado, vamos ver as condições que nos darão a partir daqui. E se for possível reforçamos, mas sempre dentro das nossas possibilidades..


Prevês alguma alteração?
- Já pensei, no que me diz respeito e como todos sabem, nunca estive agarrado ao lugar, em relação ao clube, não sei, temos que esperar para ver.

É muito importante esperar pelo que as pessoas novas têm para nos dizer se contam connosco ou não, é muito importante a figura do Vice-Presidente que é uma pessoa da nossa confiança e que está dentro do projecto, era muito importante a sua continuidade, mas até lá vamos esperar para ver o que as pessoas nos têm a dizer.


· As coisas podem ficar mais fáceis?
- As coisas nunca serão fáceis, se as novas pessoas me quiserem contactar, estarei ao dispor para expor as minhas ideias, mas o fundamental é a continuação do Vice-Presidente até porque existem acordos realizados que têm de ser cumpridos. Não estou muito preocupado, trabalhado todos os dias como tu sabes (passo os dias aqui) em prol do futsal. Vamos esperar.


· Achas que é possível aproveitar as mudanças para melhorar a situação do futsal?
- Sim o nosso desejo é que o clube tenha meios para fazer evoluir o futsal e quando dizemos que precisamos de ajuda, essa ajuda pode ser feita através de nos conseguirem angariar patrocínios para podermos “governar” com o que temos. As dificuldades têm sido grandes, mas com entrada de gente nova estou esperançados que as coisas podem mudar.

O Alex foi convocado para a selecção, que sentes?


- Queria referir sobre o Alex, que estou muito orgulhoso por ter um jogador do plantel que vai fazer parte dos seleccionados para o Europeu “ o único jogador de uma equipa amadora presente” Agradeço-lho em meu nome e em nome do Boavista a confiança que depositou em nós, ao ter continuado mesmo com todos os problemas. É um grande jogador, grande capitão e grande homem

ALEX NA SELECÇÃO PARA O EUROPEU


Registamos as palavras de Alex depois de ter conhecimento da sua convocatória

Como te sentes ao veres confirmada a tua chamada?
- Sinto-me muito feliz, com uma alegria muito grande por mim, pelos meus colegas de equipa e pelo prestígio que dei ao Boavista..
Sentes-te recompensado?
- Sim, trabalhei muito para tentar este objectivo e sinto que valeu a pena o trabalho realizado.
Foi a realização de um sonho?
-Sim porque vou estar numa fase final de um Europeu e logo na minha terra o que me enche ainda mais de orgulho.
Quero agradecer a todos o apoio que tive dos meus colegas e treinadores e essencialmente de quem confiou em mim, espero que tudo me corra bem, para não desiludir ninguém.
Objectivos?
- Ajudar Portugal a ser campeão Europeu!

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

VILA VERDE 3 BOAVISTA 5


DESCULPEM.... MAS SÓ COMO BRINCADEIRA, NÉ?


SC VILA VERDE 3 – BOAVISTA FC 5
Intervalo 0-2
Jogo no Pavilhão do SC Vila Verde (em Sintra)
Árbitros : Armando Carriço (AF Ponta Delgada) e Armando Veríssimo (AF Setúbal)

Contituição das equipas:

SC VILA VERDE
LIBÁNIO, CHEFE,PEDRINHO,VASCO E DAVID
Jogaram ainda:
DURA,P.P.,JORGE, DIEGO, BRUNO, CARLOS BATISTA E JESUS

BOAVISTA FC
ALEX,FERREIRA,ANDRÉ,JOÃO TEIXEIRA E RAMADA
Jogaram ainda:
KUKES,LIBÓRIO, FÁBIO E MARAU

DISCIPLINA:
Boavista:
Amarelos para, João Teixeira (11), Kukes (27), Alex (35), Marau (37), Salgado(38) e Ramada (39) Vermelho (por acumulação) Libório (19 e 25)
Vila Verde :
Amarelos para, Vasco (8), P.P. (19) Nána´(35)
Vermelho directo a Libánio (19).

marcha do marcador:
0-1 João (6), 0-2 André (19), 1-2 Jesus (23) 2-2 Bruno (30), 2-3 André(31), 3-3 Pedrinho(35), 3-4 Ramada (38) e 3-5 João (39)

Comentário:
Confessamos que não sabemos como considerar o jogo (???) que vimos e temos que comentar porque (principalmente na segunda parte) este encontro foi disputado debaixo de uma tensão e dirigido por umas (estranhas) regras que afastaram da modalidade à qual era suposto pertencer durante os quarenta minutos.

Até aos dezoito minutos, o jogo foi futsal, mesmo que até essa altura já todos tivessem sentido a influência que os árbitros iriam ter no jogo, isto porque ao mínimo contacto se marcava falta o que levou a que ambas equipais atingissem a quinta falta aos dezassete minutos, num jogo disputado com uma extrema correcção por ambos os lados.

Esteve melhor (sempre melhor) a equipa do Boavista, confiante tendo posse de bola e fazendo–a circular por todos os seus elementos, o Vila Verde optando mais por um jogo directo acabava por entregar o esférico aos axadrezados que a vencer desde os seis minutos dominavam completamente o jogo. Como corolários desse domínio as oportunidades apareciam e numa delas, o Guarda redes Vila-verdense defendeu com as mãos (indiscutível) fora da área sendo expulso. As coisas aqueceram e os árbitros passaram a ser extremamente pressionados, dando a ideia que dificilmente resistiriam ao ambiente.
Na fase de jogar em vantagem o Boavista aumentou para duas bolas de vantagem.

E AQUI ACABOU O FUTSAL!!!

A segunda parte foi jogada num ambiente infernal, com a emoção levada ao extremo por todos e muitas vezes tivemos a ideia que o encontro passou a ser jogado num areal, com claras influencias da força com as ondas (descontroladas) caiam sobre todos.

A primeira onda foi toda por mérito do Vila Verde que num remate cruzado diminuía a desvantagem por Jesus aos 23 minutos. O ambiente aqueceu os árbitros perderam os seus “barcos” os Boavisteiros procuravam os seus e mercê disso o Vila Verde pressionava como podiam e lhe permitiam. Em oito minutos o Boavista sofre a marcação de cinco faltas, vê um seu jogador expulso, e sofre o empate, naão havia barco que aguentasse...

O Pavilhão (ou o Oceano) explodia de entusiasmo que logo de imediato André com um remate seco calava… Aí, todos perceberam que o Boavista mesmo naquela confusão, queria ganhar o jogo.

Mas as ondas continuavam trazendo faltas e cartões em situações incríveis… aos trinta e cinco minutos um axadrezado é atropelado por um adversário que seguindo velozmente tabelou com um companheiro e em cima do risco de golo, com os pés juntos (carrinho forte) enfiava bola e um boavisteiro pela baliza dentro, fazendo um golo caricato que impunha o três a três.

Entrou-se na fase dos livres de dez metros, como que dizendo se isto não vai com ondas irá com um Tsunami… e foram três todos contra o Boavista claro, mas Alex qual rei Neptuno guardava os seus mares e os adversários tremelicando bombardeavam as redes protectoras da bancada.

Esses lances deram ânimo aos panteras que lutavam contra tudo e todos mas apostavam em ganhar aquele estranho jogo e Ramada aos trinta e oito minutos marcava e dava nova vantagem ao Boavista.

Mas a praia não sossegava de emoções, pois logo em seguida novo livre de dez metros… contra os mesmos e… bola para fora, era o desespero, era a loucura total ( e quem conseguia resistir) eram ondas de avanço sobre os boavisteiros, até que… a bola cai no pé de João Teixeira, na saída da sua área levanta a cabeça, vê a baliza vazia e com um remate sereno e colocado… coloca a praia em silêncio, um (sei lá) dois segundos depois ela descansava dentro da baliza do Vila Verde. Foi a invasão axadrezada, só impávido e sereno o “Teixas” olhava distante a contemplar o final de um jogo louco…

Mas qual fim? Ainda havia tempo para mais um livre de dez metros, só que desta feita acho que só olhar do Alex chegou para afastar a bola.

Terminava o jogo, o mar acalmou e deve registar-se que mesmo nesta loucura foi extraordinário o desportivismo demonstrado pelos jogadores e público do Vila Verde. Foram eles que criaram as ondas, nelas tinham as esperanças de vencer, mas mesmo não resultando… aceitaram perfeitamente o resultado deste sábado inesquecível em Vila Verde.

Terminado o jogo. os árbitros voltaram a ter os pés na terra e sinceramente desejamos que nunca repitam este trabalho.

crónica feita por
Hugo Monetiro

A FIGURA DO JOGO
A equipa toda do Boavista, ninguém se esquivou a nada, o jogo isto? Pois era isto que nós vamos vencer, está tudo contra nós? Pois a todos vamos vencer. E Venceram!

O MOMENTO DO JOGO
A uma eternidade de nove segundos para o final do jogo, com adversário com G-redes avançado. Eis que do meio do temporal aparece o pequeno Neno e suavemente lança a bola para trinta metros de distância acaba com a brincadeira… e fica gozando o momento talvez pensando… ide brincar para …

domingo, 21 de outubro de 2007

VITÓRIA EM VILA VERDE

A EQUIPA CONSEGUIU VENCER NO INFERNO DE VILA VERDE POR 5 A 3
LOGO FAREMOS COMENENTÁRIO AO JOGO, REGISTAMOS OS MARCADORS
JOÃO 2
RAMADA 1
ANDRÉ 2
MUITO HAVERÁ A DIZER SOBRE ESTE JOGO, ESPERE

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

CONVOCADOS PARA VILA VERDE

após o final dos treinos semanais, Rui Pereira convocou para a viagem a Sintra os seguintes elementos:
Cristiano, Alex e Salgado (gr)
Libório
Fábio
Marau
Ramada
João Teixeira
André
Ferreira
Miguel
Kukes

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

EDIVALDO TEVE ALTA


este é o trio de confiança do Dr. Pinto de Sousa
Edivaldo abandonou hoje o Hospital da Prelada onde foi operado a uma pubalgia dupla que o incomodava há mais de ano e meio.
Depois de longo acompanhamento pelo médico do Boavista FC Dr, Pinto de Sousa e pelo massagista Carlos Alberto, foi decidido fazer a operação cirúrgica que ficou a cargo do Dr. Rui Pimenta.

Após a alta acontecida hoje por volta das dez horas da manhã o atleta terá dois dia de repouso, após o que iniciará a sua recuperação dirigida pelo Dr. Pinto de Sousa e sob observação do Massagista Carlos Alberto e do Preparador Fisico Hélder do Carmo.
As sessões serão bi-diárias



terça-feira, 16 de outubro de 2007

FABINHO DE PARABÉNS


O Fábio Lima uma das certezas do futsal nacional está hoje de parabéns, que tenha um dia muito feliz na companhia dos seus amigos masi chegados e....

não se esqueça que logo tem levar bolo e champanhe para o treino!

Felicidades

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

EDIVALDO OPERADO COM ÊXITO


O atleta Edivaldo Costa foi operado hoje com êxito a uma Pubalgia dupla. a operação ocorreu no Hospital da Prelada e foi executada pelo Cirurgião Dr. Rui Pimenta.


Esta lesão já existia há meses e que impedia o atleta de dar o seu melhor nos jogos, desta forma o Boavista FC colocou os interesses do homem à frente do jogador (o contrários de outros) o resultado foi positivo esperando-se um longo período de recuperação, só quando estiver a cem por cento o atleta voltará a jogar.


Após a operação Edivaldo afirmou, já comecei a recuperar e ainda vou ajudar o Boavista!

Etiquetas:

domingo, 14 de outubro de 2007

SEGURANÇA E DESTEMOR


ALEX O MONSTRO DAS BALIZAS


UM GOLO EM QUATRO IMAGENS - O ARRANQUE


A DEMARCAÇÃO DO GÉNIO E O PASSE DO TANQUE


O PASSE DO GÉNIO


E O TANQUE COCLUIU! TUDO FÁCIL


A NOGUEIRA É DURA MAS TAMBÉM SE ABATE

o terceiro golo (segundo de Kukes)
BOAVISTA F.C. 5 - FC NOGUEIRENSE 0
Ao intervalo 1-0

Pavilhão do Viso
Árbitros: Pedro Cirne e Hélder Santos da AF de Aveiro

Constituição das equipas:
BOAVISTA F.C.
Alex, Ferreira, João Teixeira , André e Ramada
Jogaram ainda:
Kukes , Libório, Fábio e Guri

FC NOGUEIRENSE
Laser, Nito, Bife, Júnior e Cris
Jogaram ainda:
Patusco, Serginho, Leonel, Márcio e Sá Pinto

Disciplina:
Boavista: Amarelo a Ramada (18) , André (34) Vermelho por acumulação Guri (39)
Nogueirense : Amarelos a Nito (25), Bife (26), Vermelho por acumulação Márcio (33)

Marcador:
Kukes (14,37) André (29), Fábio (38) e Guri (39)

Comentário:

O Boavista encontrou a sua primeira vitória num jogo complicado e algo truculento, mas com indiscutível merecimento, ao este facto de o jogo não ter corrido como o Boavista desejava, deve-se ao facto de a equipa andar ansiosa e ávida por pontos, aceitando o estilo do jogo do Nogueirense – de contacto e correria, que transforma o jogo em imprevisível e aberto enquanto ao Boavista interessava um jogo pautado e controlado de pé para pé, conquistando o domínio paulatinamente.


Não conseguindo impor o seu jogo, o Boavista teve em André o jogador que mais tentou impor essa cadência, sem conseguir contaminar os colegas) os axadrezados entraram no “peladão” em que se transformou o jogo e Rui Pereira lançou em jogo que mais jogador que mais se adapta a esse estilo, Kukes de seu nome que no seu primeiro toque na bola marcou!
O hoje ficou loucamente aberto e se o Boavista merecia aumentar a vantagem a verdade é que o seu melhor jogador era Alex – no mínimo caricato esta situação. Mas até ao intervalo nada se alterou


O Boavista era mais equipa mas como construía desperdiçava e o resultado mantinha-se (embora já com três bolas a bater nos postes do Nogueirense) até que Kukes com uma das suas arrancadas serve André ao segundo poste e impõe descanso nas hostes axadrezadas concluindo ele a sua exibição com outro golo.


Jogo aberto na totalidade fazendo Alex brilhar e mostrar-se ao adjunto do Seleccionador nacional (presente) e os colegas a desperdiçar golos.


Resumindo marcar cinco golos desperdiçar outros tantos e enviar oito bolas aos postes, deve chegar para garantir superioridade do Boavista e o merecimento da vitória.
A arbitragem, teve um jogo difícil de dirigir mas esteve bem. Certos nas expulsões (por acumulações e impondo-se tecnicamente mesmo nas situações mais difíceis.


Crónica de

Hugo Monteiro

O MOMEMTO DO JOGO


Minuto 39!
Tinha obtido um golo, sofreu uma falta que contestou (porquê) viu um amarelo e aplaudiu o árbitro (porquê) sendo expulso… como é possível acontecer isto a dez segundos do fim a ganhar por cinco a zero? Só Guri pode explicar…

A FIGURA DO JOGO


Podia ser Alex o melhor em campo, podia ser Kukes dois golos e uma assistência, podia ser Ramada ou João (mas quando começam a rematar?) mas escolhemos André porque tentou (e muitas vezes conseguiu) impor lógica na anarquia, esperar as desmarcações, fugir do Peladão que é um jogo que ele odeia e ainda por cima de tudo esteve “acordado”.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

FINALMENTE BOAVISTA

BELENENSES 5 - BOAVISTA F.C. 3
Ao intervalo 3-2

Pavilhão De Bélem
Árbitros: Héldeer do Carmo e Rui Pinto da AF de Algarve


Constituição das equipas:

BELENENSES
Marcão, Diego, Cary, Marcelinho e Cautela
Jogaram ainda:
Vinicius, Jardel, Maté e Paulinho

BOAVISTA F.C.
Alex, Ferreira, Libório, João Teixeira e Kukes
Jogaram ainda:
André, Ramada e Guri

Disciplina:
Boavista: Amarelo a Ferreira (11)
Belenenses: Amarelo a Cautela (31)


Marcador:
Marcelinho (4,37,39), Ferreira (11,14), Paulinho (11), Diego (15) Guri (39)
Marcha do Marcador
1-0/1-1/2-1/2-2/3-2/4-2/4-3/5-4

Comentário:
Finalmente a equipa do Boavista apareceu no campeonato, depois de andar escondida durante ter andado escondida durante três jornadas.
Na primeira entrando a jogar devagar (quase parado) para acordar a seis minutos do final, na segunda jornada, fazendo de pai natal oferecendo todos os golos ao adversário e por último na terceira jornada não aproveitando nada do que (tanto) lhe ofereceram.


Ontem foi diferente, foi uma equipa concentrada de luta e que disputou o jogo sempre olhos nos olhos com um adversário, que em nada lhe foi superior e não fora a tarde de Marcelinho e as coisas poderiam ter sido diferentes.

A partida esteve sempre equilibrada com ligeira supremacia do Belenenses que aproveitou uma hesitação para abrir o activo mas o Boavista empatou sete minutos, para na jogada seguinte sofrer de novo golo, mas provando o equilíbrio existente na partida os axadrezados repuseram novo empate, que curiosamente um minuto depois daria nova vantagem para os azuis. O resultado ao intervalo era favorável ao Belenenses por três a dois.


Na segunda parte jogo foi completamente equilibrado e foram os boavisteiros que procuravam o empate, enquanto os azuis tentavam em contra ataque aumentar a vantagem. Na passagem dos trinta e quatro minutos Guri em grande jogada finalizou com a bola a bater no poste e na resposta o Belenenses marcava.


Jogando tudo por tudo, Rui Pereira adiantou o guarda redes na procura do golo que só apareceu no minuto 39 e curiosamente, ainda a tempo do Belenenses aproveitar a baliza deserta e fazer novo golo.


Resultado que se pode aceitar como certo, mas no qual o empate não escandalizaria ninguém. O Boavista deu a ideia de ter entrado no campeonato


ÁRBITROS
Mais uma actuação positiva da equipa de arbitragem que esteve imparcial e bem tecnicamente.


Crónica d

Hugo Monteiro

O MINUTO DO JOGO

Minuto 30!
O jogo mantinha-se equilibrado e Guri, descaído para a direita rematou cruzado batendo o brasileiro Marcão, mas a bola bateria no poste e o empate não aconteceu, em seguida Marcelinho aumentava a vantagem azul
.

A FIGURA DO JOGO

Marcelinho, por ter marcado três golos, e essencialmente por ser o motor de todo o jogo do Belenenses, ele joga e faz jogar os companheiros, jogador a seguir durante a prova

sexta-feira, 5 de outubro de 2007

CONVOCADOS PARA BELÉM

Rui Pereira convocou os segunites jogadores para a deslocação para Belém

Alex gr
Cristiano gr
Libório
Fábio
Marau
Ramada
Guri
André
Teixeira
Ferreira
Pedro
Kukes

ALBERTO DE MELO DE PARABÉNS


O grande boavisteiro Alberto Melo ( o nosso Berto) está hoje de parabéns.

Deseja-mos -lhe todas a felicidades do mundo porque indiscutivelmente merece.

Que o Telemóvel toque muito... ele que está sempre calado

Sê feliz grande Berto!

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

NO DESPERDIÇAR ESTÁ A PERCA



BOAVISTA F.C. 0 - SPORTING C.P. 3
Ao intervalo 0-1

Pavilhão do Infante de Sagres
Árbitros: Paulo Órfão e Mário Silva da AF de Viana do Castelo
Constituição das equipas:
BOAVISTA F.C.
Alex, Ferreira, Libório, João Teixeira e Kukes
Jogaram ainda:
André, Ramada, Guri e Fábio

SPORTING C.P.
Cristiano, Zézito, Alex, Davi e Café
Jogaram ainda:
Deo, Néne e Djô

Disciplina:
Boavista: Amarelo a João Teixeira (9)
Sporting: Amarelo a: Davi(31)

Marcador:
Alex (8,30,35)

Comentário:
Contrariando o ditado popular “que no poupar está o ganho” o Boavista apostou no contrário e desperdiçou tudo o que conquistou e tudo o que lhe ofereceram os leões neste jogo atípico para uma primeira divisão nacional.

Atípico porque nunca o Sporting perdeu tantos lances a meio terreno, oferecendo, contra a sua vontade, vários contra ataques ao adversário.
Atípico ainda, porque nunca se viu num jogo uma equipa possuir tantas hipóteses de marcar golo em contra ataques de dois para um (o guarda redes, como último não conta nestas jogadas), de dois para zero e de três para zero… e, não foi uma nem duas vezes que isso aconteceu, contabilizamos pelo menos onze jogadas deste tipo. Resultado de tudo isto… nem um golo e mais grave, muitas vezes nem um remate!
É caso para dizer; assim não dá!

JOGO NOS VINTE METROS

Mercê da táctica imposta pelo Boavista o jogo foi essencialmente disputado sobre a linha de meio campo e desde logo se percebeu que o Sporting não estava à espera desta posição dos panteras e se viu obrigado a trocar bola e iniciar as jogadas num espaço de grande congestionamento posicional.

Como consequência disso e da pressão do Boavista os lisboetas perderam várias vezes a posse de bola permitindo inúmeros contra ataques (até aos cinco minutos o Boavista desperdiçou três flagrantes oportunidades de golo).

Para superar esta posição do Boavista, o Sporting começava a fazer uso dos remates de meia distância para tentar obter o golo.

FESTIVAL DO(S) ALEX

Na baliza boavisteira, aparecia em grande o seu guardião, felino, atento e ágil, Alex mostrava todo o seu valor enquanto o jogo entrava numa fase de emoção, por um lado o Sporting tentava de longe surpreender e obter vantagem, do outro lado o Boavista que insistia em desperdiçar.

Como diz o povo na sua eterna sabedoria…” quem não marca sofre” e foi o que aconteceu, Alex "o leão" descaído para a sua esquerda e com o seu melhor pé, em remate cruzado e indefensável, abriu o activo.
Para desespero de todos, até ao intervalo o figurino do jogo em nada se alterou.

SAI UM REPETIÇÃO

A segunda parte do jogo nada de novo trouxe aos espectadores e durante os primeiros dez minutos chegou a ser enervante a forma como as equipas jogavam, o Sporting continuava na sua forma de tentar de longe o golo, perdendo muitas bolas nesse sistema enquanto o Boavista continuava a desperdiçar tudo o que conquistava.

Até que aos trinta minutos, Alex “o leão” beneficiava de nova posição descaída para a esquerda e… repetia o conseguido na primeira parte aumentando a vantagem.

Ainda restavam dez minutos para jogar e se em verdade os boavisteiros não se renderam, continuará a ser verdade dizer o Sporting se acalmou e começou agora a criar mais jogo ofensivo junto à área axadrezada, colocando Alex “ o pantera” como o homem do jogo.

Numa dessa jogadas e beneficiando de uma perda de bola em zona proibida Alex fazia da mesma posição o seu terceiro golo e matava o jogo.
Temos para nós, que a breve prazo não terá o Boavista um dia no qual se proporcione tão fácil bater o leão, mas para isso ser possível há que aproveitar (pelo menos metade) das oportunidades conseguidas, porque como diz o povo
“ no aproveitar está o ganho” e quem não marca nunca pode ganhar!
ÁRBITROS

Como qualquer jogo, também este teve árbitros…
Ninguém falou deles (sinal positivo) mas falamos nós!
Estiveram muito bem!
Calmos e perfeitos tecnicamente, devemos registar que foi o melhor que vimos a esta dupla, em todos os tempos que os conhecemos e logo num jogo televisionado.
Mais uns que souberam aproveitar!
Parabéns

Crónica de
Hugo Monteiro

O MOMENTO DO JOGO


Minuto 30

O jogo mantinha-se equilibrado e não parecia sofrer alterações, mas numa desconcentração por causa do um livre, foi permitido que Alex “o leão” conquistasse (sozinho) nova posição na esquerda e ele com o seu temível pontapé bateu o seu homónimo. O Boavista acusou o golo e nunca pareceu com “saúde” para responder a esta desvantagem!

OS ÁRBITROS


Paulo Órfão e Mário Silva de Viana
Fizeram um excelente trabalho

A FIGURA DO JOGO


Entre os dois ALex, escolhemos o Boavisteiro. Frieza, agilidade, coragem e muito (muito) valor marcaram a portentosa exibição deste atleta demonstrando uma atenção (aos remates de meia distancia) que nos obrigam a (polemicamente, talvez) perguntar se (no momento) não será o melhor guarda redes no nosso país?