< Blog dos Séniores do Futsal do Boavista FC: Janeiro 2009

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Boavista vence Rio Ave por 9-6

O Boavista recebeu e venceu por 9-6 o Rio Ave no primeiro jogo da segunda volta da segunda divisão de Futsal.
O Boavista começou muito bem a partida, uma vez que ainda no decorrer do segundo minuto de jogo Preto, através de uma jogada individual, colocou os axadrezados em vantagem. No entanto, quatro minutos depois, devido a uma falha das panteras, os forasteiros igualaram a partida e passaram à frente do marcador 25 segundos mais tarde. Aos 8m30s, nova revolta no marcador, Fábio volta a empatar a partida e Marau, acabado de entrar, colocou, aos 11m30s, mais uma vez, as panteras no comando da partida marcando o 4º golo aos 17m levando os axadrezados em vantagem para o intervalo.
No reatar da partida Rogério aumentou a vantagem para o Boavista, logo no primeiro minuto da segunda parte. Apesar da vantagem de três golos do Boavista o Rio Ave não baixou os braços e Libório reduziu, aos 24m30s tendo, no entanto, Preto aumentado, novamente a vantagem, meio minuto depois. Aos trinta minutos de jogo Fábio volta a marcar fazendo o 7-3 e Bruno, num remate de longe, reduz para o Rio Ave três minutos depois mostrando não querer sair do Porto com um resultado negativo. O Boavista volta a aumentar a vantagem aos 36m30s, através de Ricardo e passado um minuto o Rio Ave responde colocando o marcador nos 8-5. Aos 38m, José Pinto, numa enorme infelicidade coloca a bola dentro da baliza dos axadrezados dando alguma esperança aos forasteiros mas, Fábio, meio minuto depois a colocar o resultado final nos 9-6 dando toda a justiça ao marcador.
Na próxima jornada, sábado dia 7 de Fevereiro de 2009, às 18h30, o Boavista vai a Santa Cruz do Bispo jogar com o Junqueira.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

RESULTADOS E CLASSIFICAÇÕES 14ª JORNADA

RESULTADOS
BOAVISTA 9 - RIO AVE 6
BOTICAS 1 - UTAD 1
BRAGA 4 - JUNQUEIRA 4
GAFANHA 5 - GONDOMAR 3
NOGUEIRENSE 4 - A. CRIANÇA 3
MONTE PEDRAS 2 - NOGUEIRÓ 2
VISEU 5 - JUVENORTE 5

CLASSIFICAÇÃO

UTAD 38 Pontos
2º BOTICAS 35
3º BRAGA 25
NOGUEIRENSE 24
5º BOAVISTA 24
JUVENORTE 23
7º VISEU FUTSAL 21
8º RIO AVE 18
NOGUEIRÓ 16
10º A. CRIANÇA 16
11ºJUNQUEIRA 14
12ºGAFANHA 14
13º MONTE PEDRAS 9
14º GONDOMAR 0

Comentário:
Mais uma jornada com muitos golos, mas com resultados equilibrados. As equipas começam a definir e defender, as posições conquistadas, começando a tornar-se evidente o valor e o futuro das equipas.
No respeitante aos lugares de subida é evidente que esses serão ocupados pelas equipas trans-montanas.
Nos últimos postos a luta vai ser intensa, pois retirando o Gondomar nada parece ainda definido.
Os clubes que já ocuparam lugar na primeira divisão ocupam uma classificação que promete luta entre eles pelo melhor lugar (sem subida) será uma luta interessante de seguir.




quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

ANTÓNIO MORAIS - O BALANÇO DE MEIA ÉPOCA


Falamos com o Director do Departamento para um ligeiro balanço da época desportiva.

Directo e sem rodeios, eis António Morais e as suas ideias.


O FUTSAL NO BOAVISTA

- No inicio da época exerceste uma pressão para a continuidade do futsal, que acabou por ser aproveitada por todas as Amadoras. Sentes-te o responsável pela continuação de todas as modalidades?
- Queria fazer uma rectificação. As modalidades nunca estiveram para acabar no Boavista, o que esteve para terminar foi o escalão de seniores em todas as modalidades amadoras.
- Mas realças-te a diferença entre as várias realidades …
- No caso do futsal sénior a realidade apresentava-se bastante grave. No caso de desistência dos seniores, o Boavista para regressar a provas oficiais, teria que iniciar a actividade pela terceira divisão distrital, o que seria penoso e levaria cerca de uma dezena de anos a atingir o plano actual.
- A descida de divisão agravou mais a situação?
- O que tínhamos em mente, era fazer uma equipa competitiva com intenção de regressar à primeira divisão. Mas como conheço a realidade do Clube, o que ficou decidido foi, que nós Departamento, teríamos que conseguir os patrocínios que nos permitissem cumprir com os subsídios aos atletas, enquanto a Direcção nos daria o restante apoio, transporte, pagamento da polícia e aluguer pavilhão etc…
- A Direcção tem cumprido com a parte que lhes diz respeito?
- Sim! Têm cumprido com tudo o que acordamos.

BALANÇO DE… MEIA ÉPOCA

- Atingimos o meio da época. Qual o teu sentimento. Desiludido?
- Não! Não estou nada desiludido, até porque quando começamos a época, toda a gente sentenciava que com a equipa que tínhamos na altura, iríamos descer de divisão.
O que é certo, é que mesmo começando mais tarde que os outros clubes, conseguimos formar um conjunto competitivo que tem conseguido até mais que os objectivos que nos propúnhamos atingir no inicio da época.
- Que leitura fazes do actual campeonato?
- Estamos a lutar pelo terceiro/quarto lugar. As duas primeiras equipas não dão hipóteses. São Clubes do interior que têm as ajudas das Autarquias e nós neste momento, não podemos - nem queremos -competir com essas equipas.
- Concordas que o título está fora de questão?
- Claro! Nunca foi o nosso objectivo, mas se podermos ficar em terceiro não vamos ficar em quarto. Vamos lutar por um lugar mais cimeiro possível, porque estamos aqui para honrar a camisola que representamos e esperar por melhores dias…
- Se acontecesse uma subida, como iria ser o futuro?
- Nunca pusemos (no inicio) de fora essa hipótese, mas sabíamos que se isso acontecesse a próxima época nos iria trazer uma imensidão de problemas, porque a primeira divisão está muito inflacionada, mas se tal acontecesse teríamos que assumir essa realidade.
- Este plantel é quase da tua exclusiva responsabilidade, mas tem havido demasiadas movimentações – saídas/entradas/cedência… - a que se deve esta movimentação?
- Tenho que registar que todos estes jogadores estão (quase) a custo zero e como tal, acontece que com o decorrer da época, chegam-lhes proposta para ganhar (mais) dinheiro e nós não desejamos cortar as pernas a ninguém.
Por outro lado também encontramos jogadores livres que conseguimos trazer para o Boavista.
- Tens conseguido cumprir com tudo que assumiste com o plantel?
- Tenho! Até à presente data tenho conseguido. A partir de hoje as coisas não serão fáceis mas espero, continuar a cumprir com tudo o que acordei.
Quero no entanto vincar o seguinte; os jogadores que pertencem ao plantel sabem que se por algum motivo – nós secção – não podermos continuar a cumprir é por qualquer impossibilidade. Por nossa parte, sabemos que eles – nessa eventualidade - nunca deixarão de dar o seu melhor em todos os jogos na procura do melhor resultado.
- Tanta confiança…
- Tenho confiança neste grupo, porque é formado por jogadores que não jogam por dinheiro, mas por amor à camisola e amor à modalidade. Por isso é que, procurei jogadores que se podiam encaixar neste perfil.
E digo mais, se calhar o futuro vai passar por aí, por este tipo de jogadores e por este tipo de objectivos.

O FUTURO DO FUTSAL NO BOAVISTA

- Referes-te ao futuro do Clube ou da modalidade?
- Eu falo pelo Boavista e aqui o principal é a formação! Nós tratamos a formação como ninguém!
Apesar de não conseguirmos muitos títulos, ganhamos (quase sempre) em todas as épocas algum título, mas a formação não é essencialmente para ganhar títulos, mas para formar jogadores e ajudar a formar jovens.
A principal política é formar jogadores para os seniores e posteriormente colocá-los no mercado.
- A formação tem sido vítima do momento que vive o Boavista?
- Não. As principais dificuldades que sentimos foram o facto de termos arrancado tarde, pela indefinição de continuarmos, ou não. Aconteceu que os clubes tinham os planteis formados e nós tivemos dificuldades em fazer alguns ajustes, que estavam programados e dos quais tivemos que desistir.
Mas mesmo assim, conseguimos formar equipas competitivas em todos escalões e, em quase todos ocupamos os primeiros lugares, principalmente nos Iniciados em que levamos já uma vantagem considerável.
- Em Iniciados o Boavista é Bi-campeão distrital.
- Sim e queremos ser Tri-campeões, já esta época. A prova que se reconhece este nosso trabalho, é o facto de continuarmos a ser convidados para vários torneios nacionais e internacionais, representando o Clube ao mais alto nível.
Para reforçar este sector fomos “contratar” o Senhor Rui Ferreira, que passará a ocupar o lugar de Coordenador de todos os escalões de formação, incluindo a preparação das próximas épocas, para formar equipas mais fortes para conseguir os nossos objectivos.
- Para um clube de formação, a falta de espaços para treinos é problema?
- O Boavista e, não é só com o Futsal - é com todas as modalidades amadoras - gasta mensalmente muito dinheiro em alugueis de pavilhões.
Eu que sou só Director do futsal e não tenho conhecimento de tudo o que se passa no Clube, acho estranho que tendo nós um espaço no Ténis que está sub-aproveitado, o mesmo não seja aproveitado.
Esse espaço podia ser aproveitado para as modalidades, essa área dá para fazer dois campos para treinos de todas as modalidades, com todos os escalões. Penso, que até poderia ser rentabilizado, durante o tempo livre, para apoio em dinheiro para as amadoras.
- Essa é uma questão levantada há muito tempo… Porque não se resolve, se toda a gente está de acordo?
- Acho estranho! Que não nos entreguem esse espaço e continuemos a gastar tanto dinheiro em alugueis de pavilhões. Nós já fizemos um estudo e com a ajuda dos associados faríamos as obras de adaptação que fossem necessárias.
Tudo parece simples… mas estranhamente não conseguimos resolver este assunto.
- Mas a Direcção está informada dessa intenção?
- Este assunto já foi colocado à Direcção, mas para já não tenho respostas. Tenho falado com o Senhor Eng. António Marques (Vice-presidente das Amadoras) que igualmente não tem respostas para nos dar. Inclusive as Modalidades Amadoras já fizeram um comunicado conjunto sobre o assunto, mas não obtiveram resposta.
Sinceramente, não sei, não sei! Mas penso que está ali a solução para as modalidades.
- Quem responde a esta questão?
- Não sei! Nós (actividades Amadoras) estamos prontos a fazer a obra, consideramo-la fundamental para a sobrevivência das Amadoras, a partir daí… nada mais podemos fazer, que ficar à espera de resposta de quem de direito.

O FUTSAL NACIONAL

- Respeitante ao Futsal nacional. Qual é o teu (actual) ponto de vista?
- Vejo com estranheza esta última reunião, que se realizou a nível nacional, em que só estiveram presentes os clube da primeira divisão o que me desagradou!
Como Director do Boavista, acho que só tem cabimento realizar reuniões exclusivas a clubes da primeira divisão se o assunto for única e exclusivamente para debater assuntos sobre as transmissões televisivas.
Mas quando se querem discutir modelos e quadros competitivos, campeonatos de formação, considero que essas reuniões deveriam ser alargadas aos clubes de todas as divisões nacionais, pois todos nós temos uma palavra a dizer sobre esses assuntos.
- O eterno problema da falta de sensibilidade ou um simples esquecimento?
- Não sei! Mas até o próprio campeonato nacional da segunda divisão está mal estruturado, não é só o da primeira.
Por exemplo, as últimas três jornadas do campeonato da segunda divisão, todas têm “buracos” entre elas! O que vamos fazer nessas semanas de intervalo, numa fase crucial e decisiva para a prova? Não é só campeonato da primeira que está errado, está o da segunda e talvez até o da terceira.
Isto é um problema global dos clubes nacionais e não exclusiva dos do primeiro escalão.
- Tu que andas aqui há tantos anos, consideras que a Modalidade evoluiu tanto como se diz?
- Não! Não evoluiu tanto como se quer fazer crer. Não evoluiu e não vai evoluir enquanto os clubes continuarem divididos e não se unirem na análise dos problemas. Compreendo e reconheço que as televisões também querem vender e que os grandes clubes vendem mais que os outros.
Ao contrário do que dizia o Presidente Mário Brito - há algum tempo – ele hoje também reconhece que o seu clube tem que dar mais jogos que o Odivelas, o Tires, o Alpendurada etc… mas isso é a lei do mercado. Também reconheço que quando o Boavista andava na primeira divisão, dava mais jogos que o Freixieiro a Fundação. Mas isso é a lei do mercado e as televisões é que decidiam.
O importante é não perder as televisões para a modalidade e, isso sim, é um problema dos clubes da primeira divisão. Os outros assuntos dizem respeito a todos os clubes e todos devem estar presentes nas reuniões de debate que forem organizadas.

ARBITRAGEM

- Disputando esta época a segunda divisão, como vês os valores dos árbitros nesse escalão?
- Tirando o caso em que fizemos um comunicado conjunto com o Viseu em que a arbitragem foi muito má, o valor da arbitragem na segunda divisão não fica muito atrás ao primeiro escalão. Sinceramente, não é aí que está algum problema.
- Que diferenças encontras?
- O andamento técnico e táctico entre os dois escalões é muito grande!
QUADROS COMPETITIVOS

- O que pensas dos quadros competitivos?
- O campeonato da primeira divisão está cada vez mais selectivo, mas o facto de ter sido alterado o Play-out, melhorou a prova e vai dar mais verdade desportiva.
Quanto à Taça de Portugal também foi alterada – principalmente a final – e existem já Dirigentes em desacordo. A mim é-me indiferente e nem sequer emito opinião.
No final só uma equipa vai ser campeã e outras vão investir e não conseguir os seus objectivos, isso é normal no desporto. As equipas que sobem da segunda sentirão sempre enormes dificuldades para competir no primeiro escalão e lutarão sempre somente para a permanência, mas isso já é assim há muito tempo.
Agora há muitas equipas que realizaram grandes investimentos, estando bem apetrechadas e não vão conseguir atingir os seus desejos.

OS ADEPTOS DO BOAVISTA E O SEU APOIO

- Tenho verificado um grande acompanhamento da equipa. Estás de acordo com este ponto de vista?
- Quero deixar uma palavra de apreço aos Panteras Negras e às claques que nos têm acompanhado e apoiado, fazendo comentários nos seus blogues e reportagens nos vários blogues das várias claques.
- O apoio tem sido maior que na primeira divisão. Porquê?
- As modalidades têm sido muito apoiadas principalmente pelas claques, sinto que o momento que o Universo Boavisteiro vive é grave e isso despertou o amor aos verdadeiros Boavisteiros que sentem que defendendo as Amadoras estão a defender a base do Boavista Futebol Clube. Sei que vai ser criada uma rádio pelas claques e desejo desde já muita sorte para o projecto e peço que nunca nos abandonem e que nos apoiem, pois essencialmente somos o Boavista.
- Aceitaram pacificamente a descida?
- Sim. As pessoas entenderam a nossa descida, sabem porque razão aconteceu e sabem igualmente, porque é que teremos que continuar aqui por uns tempos. Para estruturar o Clube e esperar por melhores dias.
As pessoas já entenderam que mesma neste escalão a luta pela subida não é fácil e que o principal objectivo é não deixar morrer a modalidade no Boavista, lutar por mais neste momento,
era correr para o abismo

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Boavista sai de Braga com pesada derrota

Um jogo que ficou marcado por muitas falhas da equipa axadrezada na primeira parte, sendo que a maior falha foi a falta de atitude da equipa, levou a que o Boavista saísse de Braga com uma pesadíssima derrota por 10-5.
Boavista a entrar em campo com José Pinto (80), Rogério (6), Chico (8), Preto (13) e Azevedo (20) tendo ainda jogado Fábio (7), Marau (10), Ricardo (19).
Primeiros quatro minutos de jogo muito equilibrados, sem que nenhuma das equipas se tenha sobreposto à outra e sem grandes ocasiões de perigo. O Braga chega ao golo aos 4'30, com muita sorte, visto que foi Chico a meter a bola na própria baliza. Aos 7'42, o Braga quase conseguia aumentar a vantagem não fosse José Pinto a efectuar uma excelente defesa.
Marau entra para o lugar de Chico aos 9'45 e bastou-lhe 15 segundos para reestabelecer a igualdade ao corresponder da melhor forma a um cruzamento de Fábio que também havia entrado há pouco tempo. Mais uma grande infelicidade dos boavisteiros e o Braga adianta-se novamente no marcador aos 12'24 com Fábio a colocar a bola no fundo das redes defendidas por José Pinto.
Com o segundo golo do Braga veio o desnorte dos boavisteiros e, a equipa da casa, sem fazer muito poderia ter chegado ao terceiro golo, mas José Pinto, sempre muito bem, a fazer mais duas excelentes defesas. Aos 14'10 Rogério, com um grande remate do meio da rua, quase igualava a partida mas o redes da casa respondeu com uma boa defesa, no entanto, o golo da casa não havia de demorar, foram precisos apenas mais 33 segundos para o Braga marcar o terceiro, sendo que, desta vez não precisaram da ajuda do Xadrez! A partir daqui o Mágico Xadrez a ir para cima do adversário mas é o Braga que quase aumenta a vantagem, o que aconteceu aos 17'24, depois de uma boa jogada individual de Rogério, a equipa da casa aproveita mais uma falha dos axadrezados e marca, com um bonito chapéu, o seu quarto golo, vantagem que é aumentada passados menos de 20 segundos, com um jogador do Braga a aproveitar a ausência de José Pinto da baliza, visto que tinha tentado sair ele próprio para o ataque, e a chutar para o fundo das redes do Boavista, mandando os axadrezados para o intervalo com o peso de terem que recuperar de um resultado muito negativo, uma vez que o Braga vencia o Boavista por 5 bolas a uma.
No entanto, foi o Braga a chegar novamente ao golo logo no primeiro minuto e meio da segunda parte. Depois do 6-1 o Boavista a tentar reduzir a desvantagem mas a ser muito ineficaz perante a defesa muito organizada do Braga. O golo axadrezado chegou mesmo aos 4 minutos da segunda parte com um remate de Ricardo que bisou cinco segundos depois. O terceiro golo do mágico trouxe uma mudança de atitude dos boavisteiros que começaram a jogar ao ataque com mais convicção. Aos 6'8, na sequência de um pontapé de canto, Ricardo a fazer um hat trick devolvendo, assim, a esperança ao Xadrez.
Depois deste golo do Boavista, o Braga a tentar impor mais calma ao jogo mas os axadrezados a manterem a atitude ganhadora adoptada na segunda parte do jogo. Aos 8'9 o Boavista podia mesmo ter reduzido o resultado para os 6-5 mas Ricardo falha por muito pouco, depois de um bom cruzamento de Chico. No entanto, e com o Boavista a atacar com tudo, foi o Braga que aproveitou para ampliar a vantagem com o redes da casa a ler muito bem a saída de José Pinto da baliza e, com um remate de costa a costa, marcou, assim, o sétimo golo do Braga. O Mágico Xadrez, no entanto, não baixou os braços e foi novamente para o ataque e Fábio esteve quase a marcar, aos 12'49, mas a bola a bater no poste e, aos 15'59, foi mesmo Fábio que reduziu mais uma vez a desvantagem, no seguimento de um livre frontal à baliza. Passados trinta segundos e com o Boavista, mais uma vez, ao ataque, foi o Braga a marcar mais um golo com um remate de muito longe. A finalizar o jogo, o Guarda-redes do Braga a marcar novamente, com um remate de baliza a baliza, e a colocar um ponto final na partida.
Apesar do Braga merecer a vitória, o Boavista, pela boa segunda parte, não merecia sair da cidade dos Arcebispos com uma derrota tão pesada.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Boavista recebe e empata com o Boticas a cinco bolas

INJUSTIÇA foi a palavra de ordem de um jogo no qual, a partir dos primeiros cinco minutos, SÓ deu Boavista.
Os axadrezados a jogarem de início com Buffon (50), Rogério (6), Chico (8), Preto (13) e Azevedo (20) tendo ainda alinhado Carlos (5), Ricardo (19), Marau (10) e José Pinto (80).
Primeiros cinco minutos com o Boavista a entrar muito apático deixando o Boticas trocar a bola a seu bel-prazer chegando, com naturalidade, ao golo aos 4m 42s. A partir dos oito minutos os axadrezados meteram o pé no acelerador e começaram a jogar mais ao ataque assumindo as despesas do jogo. Aos 11m 34s o Boticas, contra a corrente do jogo, marca o seu segundo golo, tendo o Boavista reduzido logo vinte segundos depois através de Rogério. Três minutos depois, Rogério, depois de uma excelente combinação com Carlos, põe alguma justiça no marcador ao empatar a partida. No entanto, o Boticas, no primeiro remate que fez nos últimos oito minutos da primeira parte, fez o seu terceiro golo saindo para o intervalo a vencer por 2-3 deixando um travo amargo nas hostes axadrezadas.
Na segunda parte o Boavista a entrar em campo com o mesmo cinco inicial e a ter a primeira oportunidade de golo logo no primeiro minuto com um cabeceamento a sair ao lado. Aos 3m 47s da segunda parte, Preto, empata novamente a partida devolvendo a esperança de um resultado positivo.
A partir daí, e nos sete minutos iniciais, o Boavista a assumir completamente o jogo e a não deixar o Boticas respirar mas, mais uma vez contra a maré do jogo e depois de vários ataques infrutíferos dos boavisteiros, os forasteiros colocam-se novamente à frente no marcador, aos 8m, ao transformar em golo o seu primeiro remate da segunda parte. Passados dois minutos, mais do mesmo, segundo remate à baliza, segundo golo do Boticas na segunda parte.
Aos 13 minutos o Boticas quase matou o jogo quando, depois de uma excelente defesa de Buffon, um jogador forasteiro, com a baliza aberta, remata muito por cima.
A cinco minutos de terminar a partida, o Boavista arrisca tudo colocando em jogo José Pinto e fazendo-o avançar no terreno, o que deu logo frutos com Azevedo a diminuir a desvantagem aos 16m 21s relançando, assim, a partida. A partir daqui o Boavista continua a dominar o jogo e Carlos, a 41 segundos do final, a empatar o jogo e a levar ao delírio os adeptos que se deslocaram ao pavilhão para apoiar o Mágico Xadrez.
5-5 foi o resultado final, no entanto, o resultado mais justo seria os três pontos terem ficado em casa.
Nota negativa para o árbitro da partida que, para além de outros erros que prejudicaram a equipa da casa, não viu várias vezes os jogadores do Boticas a substiruírem o Futsal pelo Andebol.
Destaque ainda para o número 13, Preto, pela excelente segunda parte na qual mostrou sempre muita entrega.

sábado, 3 de janeiro de 2009

PRÓXIMO JOGO









O Boavista FC defronta no próximo Sábado a equipa do GD de Boticas (actual segundo classificado).

O jogo realiza-se no pavilhão do GD do Viso e tem início pelas 16.00 horas

CAMPEONATO RECOMEÇA NO PRÓXIMO SÁBADO


Após as férias natalícias, o campeonato nacional vai recomeçar no próximo sábado, com um jogo muito importante para definir o futuro não só do Boavista, como da própria prova, pois o GD de Boticas defende o segundo posto da classificação.